AÇÃO DE IMPROBIDADE PREOCUPA PROCURADOR GERAL DE MACEIÓ.


O então prefeito de Maceió, Rui Palmeira, está sendo investigado pelo Ministério Público de Alagoas por suposto desvio de 3 milhões da COSIP ( Contribuição de Iluminação Pública ), verba essa carimbada para uso exclusivo no parque de iluminação pública de Maceió.
Ocorre que cada residência, empresa e etc, paga uma taxa mensal de iluminação pública, taxa essa que deve ser revertida para melhorias na iluminação municipal, o que não ocorreu.
Segundo as investigações, esse dinheiro foi desviado para a Secretaria de Comunicação com o intuito de promover a gestão do atual prefeito com propagandas.
Sendo este dinheiro utilizado para outra finalidade, caracteriza claramente improbidade administrativa, o que pode causar revolta na população, tendo em vista a carência de iluminação pública em diversos bairros da cidade de Maceió.
Além de Rui Palmeira, também estão sendo investigados Ib Breda, que era da Sima ( Secretaria de Iluminação de Maceió ), integrando agora a câmara de vereadores da capital, bem como o secretário de comunicação de Maceió, Clayton Santos. Ambos tiveram um prazo determinado pelo MP até o último dia 30 de abril para apresentar sua defesa.